Qual a idade indicada para começar a tomar café?

Provando o mundo é que as crianças o conhecem, mas quando seria a hora certa de descobrir o café?

É utilizando seus sentidos e seguindo exemplos que as crianças vão, aos poucos, descobrindo o mundo, e isso não poderia ser diferente com a descoberta do café. Seja pelo cheiro atraente, pelo aspecto diferente que gera curiosidade ou pela observação do hábito dos adultos ao seu entorno é extremamente comum que crianças de diversas idades sintam vontade e peçam para experimentar a bebida.

Saber quando pode ser saudável e seguro introduzir café na dieta infantil é extremamente importante para adultos responsáveis pelo pequenos, pois assim como outras bebidas ou alimentos o café possui diversas propriedades que podem impactar diretamente no crescimento e desenvolvimento das crianças.

Alimentação infantil adequada

O bom desenvolvimento tanto físico quanto intelectual na infância se liga de forma direta aos hábitos alimentares estabelecidos. O cuidado e atenção com a nutrição infantil são de extrema importância e, portanto, há normativas dos diferentes órgãos de saúde, tanto nacionais quanto internacionais, que preconizam como deve ser a alimentação principalmente nos primeiros anos de vida.

Até os 6 meses de vida recomenda-se que o bebê permaneça em aleitamento materno exclusivo, de forma que não há necessidade de acrescentar qualquer outro item ou até mesmo água à dieta. A partir dessa idade inicia-se a introdução alimentar, onde a criança passará a ter contato com diferentes alimentos.

Durante essa fase, que se estende até os dois anos, o recomendado é que se ofereça ampla variedade de alimentos, entretanto esses devem ser sempre apresentados da forma mais natural possível, evitando açúcar, refrigerantes, produtos ultraprocessados, dentre outros.

Dos 2 aos 6 anos a criança passa a conviver fora de seu núcleo familiar, entrando na fase pré escolar, onde provavelmente terá o primeiro contato com os alimentos de baixo valor nutricional não oferecidos anteriormente. A partir desse momento a evolução alimentar segue com cada vez mais autonomia e a própria criança passa a participar da escolha de seus alimentos e explorar as diversas possibilidades expostas.

Quando posso introduzir o café?

Dentro do descrito acima a respeito de uma alimentação infantil ideal o café não se encaixa nos primeiros anos de vida. Até os 2 anos ele é contra-indicado, não devendo portanto ser ofertado às crianças até essa idade.

A partir dos 2 anos a criança pode provar a bebida, mas seu consumo deve idealmente ser restrito, não ultrapassando meia xícara por dia. Ao atingir 6 anos a quantia já pode ser aumentada, elevando a dose máxima de consumo diário para uma xícara.

Ao realizar a oferta de café para a criança é sempre importante que ele seja de preferência coado e misturado com leite em uma proporção em que haja mais leite que café. Também é benéfico evitar ao máximo o uso de açúcar ou adoçantes (o que pode funcionar como desestímulo ao consumo pelo característico sabor amargo) e, quando possível, utilizar-se apenas de café descafeinado.

Por que não oferecer café desde cedo?

O café possui efeitos benéficos. Além da cafeína, que funciona como um estimulante natural, a bebida conta com vitaminas e antioxidantes que podem contribuir para a saúde. São pronunciados os possíveis efeitos positivos do consumo de café, entretanto eles são realmente válidos quando se trata da população adulta. É possível de se encontrar bons reflexos do consumo de café na população pediátrica, entretanto o risco de causar algum prejuízo ao desenvolvimento é maior.

A cafeína presente no café é um estimulante do sistema nervoso central, o que torna seu consumo perigoso. O sistema neuronal de um bebê ou de uma criança até 2 anos ainda é imaturo e devido a isso não há como fazer previsões de doses seguras a ser administradas, dado que doses ínfimas já são capazes de desencadear efeitos como dores de cabeça, taquicardia e tremores.

Mesmo desconsiderando os riscos de efeitos adversos, o uso da cafeína ainda não é vantajoso, dado que pequenas concentrações já podem proporcionar efeitos significativos, mantendo a criança acordada e em alerta por tempo prolongado. Tratando-se da população pediátrica esse cenário é bastante prejudicial, pois além da irritabilidade evidente, proveniente da privação de sono, é enquanto se dorme que é liberado o Hormônio do Crescimento (GH), essencial para o desenvolvimento físico da criança. A redução de horas de sono culmina com uma secreção também reduzida de GH, o que irá gerar um impacto direto na formação óssea e muscular desse indivíduo.

Além de seus efeitos diretos, os componentes do café, principalmente cafeína e taninos, também interferem indiretamente no metabolismo corporal. Principalmente quando o café é consumido pós refeição tais substâncias passam a competir pela absorção com o ferro (essencial para transporte de oxigênio, coordenação motora e aprendizado) e o cálcio (essencial para formação de ossos e dentes e para contração muscular), reduzindo a biodisponibilidade desses íons no organismo. Também podem contribuir para a exacerbação de quadros de refluxo, relativamente comum em crianças, uma vez que provoca o relaxamento do esfíncter inferior do esôfago.

Proibir não é o caminho

Mesmo com todos os riscos apresentados, não há necessidade de proibição do consumo de café para crianças. É importante que os pequenos se sintam livres para explorar novos alimentos e sabores, portanto, frente a isso, uma boa recomendação é não ofertar café a menos que a criança o peça, e quando o fizer que seja em pequena quantidade, apenas para conhecer essa nova bebida ou sentir seu sabor de forma relativamente periódica e não nociva. Outra alternativa, caso a criança goste de beber café, seria a sua substituição por outras bebidas, como sucos, vitaminas ou chás variados.

Pela ampla importância da nutrição principalmente na fase infantil é indispensável que o café ofertado à população pediátrica seja de excelente qualidade. Uma ótima opção para esse momento é o café especial sabor suave da Fazenda Aliança. Com perfeito equilíbrio entre corpo, aroma, acidez e sabor esse café irá agradar com mais facilidade não só as crianças, mas também conquistará a todos da família.