Quem ama café costuma gostar de curtir a bebida a todo momento. E isso inclui a hora de degustar uma bebida alcoólica. Afinal, há diversos tipos de drinks refrescantes com café. Você já provou algum deles? 

Há alternativas para todos os gostos, que vão desde a tradicional caipirinha, até um coquetel cremoso. O que acha de preparar um desses para receber os amigos em casa ou para degustar sozinho, depois de um dia cansativo?

Confira as receitas de drinks refrescantes com café e aproveite! 

Receitas de drinks refrescantes com café

Confira algumas receitas para você fazer em casa e surpreender a todos! 

Receita de caipirinha de café

Você vai precisar de:

  • 50 ml de cachaça
  • 1 limão 
  • 50 ml de café expresso frio
  • Açúcar e gelo a gosto

Comece descascando o limão e retirando, ao máximo, a parte branca que fica ao redor, para evitar que a bebida fique amarga. Na sequência, corte o limão em rodelas , coloque no copo e adicione o açúcar. Macere os dois juntos.

Coloque a pinga sobre o limão macerado e o gelo. Por fim, adicione o café frio e sirva. Se quiser, pode decorar o copo com rodelas de limão. 

Coquetel de café cremoso

Esse não é um drinque refrescante, mas é muito saboroso e você precisa aprender! Você vai precisar de:

  • Uma colher e meia, das de sopa, de café frio
  • 2 cravos
  • Meia xícara de chá de conhaque
  • 1 lata de leite condensado da marca da sua preferência 
  • 3 colheres de sopa de leite
  • Calda de chocolate, das usadas em sorvete
  • Chantilly
  • Raspas de chocolate

Coloque o leite condensado, os cravos, o leite e o café em uma panela e leve ao fogo. Mexa e deixe ferver por cinco minutos. Enquanto isso, decore uma taça com a calda de chocolate. Coloque o doce feito na panela na taça e acrescente o conhaque. Finalize com o chantilly e com as raspas de chocolate. Sirva na sequência. 

Café cubano

Esse é um dos drinks refrescantes com café, simples de ser feito e fica irresistível. Você vai precisar de: 

  • 50 ml de suco de lima
  • 60 ml de café expresso frio
  • 1 colher de sopa de creme de leite fresco
  • 1 dose de rum
  •  Folhas de hortelã para decoração
  • Gelo a gosto 

Se tiver uma coqueteleira, use-a, mas caso não tenha, pegue um recipiente qualquer e coloque o rum e o café frio. Adicione o gelo e o suco de lima. Misture bem para ficar homogêneo. Coloque em uma taça. Bata o creme de leite sobre o drinque e decore com folhas de hortelã. 

Cactus Café

Esse é um dos drinks refrescantes com café para quem gosta de bebida muito forte, pois leva tequila. Você vai precisar de:

  • 1 rodela de limão
  • 1 dose de licor de café
  • Meia dose de tequila prata
  • 200 ml de soda ou outro refrigerante de limão
  • Gelo a gosto

Coloque o licor, a tequila e o gelo em um copo. Complete com o refrigerante de limão e decore com uma rodela de limão, que pode ser colocada no copo. 

Gostou das receitas? Então, se você ama café, veja diferentes formas de consumir a bebida

Você já viu ou já bebeu um café que vem com um desenho em sua superfície? As figuras são variadas e vão desde flores, até cachorrinhos. Para poder ser feita, o barista usa uma técnica conhecida como técnica Latte Art.

Ela exige muito treino e estudo. Afinal, desenhar sobre o café não é nada fácil, pois para conseguir fazer a figura escolhida o profissional derrama leite e creme, mais em uns pontos e menos e outros, para chegar ao formato pretendido. 

 

Quer saber mais? Então descubra tudo sobre a técnica Latte Art! 

O que é Latte Art?

Essa é uma técnica, comumente dominada por baristas, que consiste em fazer desenhos no café usando leite vaporizado. Assim, pode ser feita em bebidas a base de leite como, por exemplo, o cappuccino. Como as figuras costumam atrair e encantar o consumidor, pouco a pouco, os profissionais estão procurando se capacitar e aprender essa arte. 

Embora não se saiba ao certo quando a técnica Latte Art foi iniciada, esse tipo de atividade já era realizada no século XIX, na Itália, ou seja, não é nada muito recente, mas vem ganhando os consumidores agora. 

Principais técnicas de Latte Art 

Se você reparar bem, os desenhos são muito diferentes entre uma xícara e outra. Para conseguir isso, os profissionais precisam aprender diversas técnicas. 

Uma delas é chamada de grafismo e é feita usando chocolate, caldas e outros acessórios como, por exemplo, espátulas e palitos, que ajudam a dar o formato. 

Há também a técnica free pour. Essa é considerada uma das mais complicadas de aprender, pois, exige que o barista tenha bastante habilidade. Afinal, ela é feita com a leiteira e depende da inclinação correta para que o desenho escolhido seja formado. As figuras mais comuns, feitas com a técnica free pour, são o coração e a tulipa.

Por fim, há também a chamada de stencil art. Nesse caso, a canela ou o cacau é polvilhado sobre o café, com a ajuda de moldes. O desenho é formado de acordo com o molde. 

Para que servem as técnicas de Latte Art?

No geral, não há alteração no sabor da bebida, a não ser pelo fato de colocar calda, leite ou chocolate. Enfim, a técnica não é voltada para a saborização e sim para oferecer um mimo a mais para quem vai consumir o café.

Em uma cafeteria, por exemplo, é possível personalizar o atendimento. Para o casal apaixonado um coração. Para o tutor que ama o seu pet, um cachorrinho e assim por diante. 

Assim, quando o profissional se especializa nesse tipo de técnica, ele acaba podendo oferecer um diferencial para o estabelecimento. Consequentemente, atrairá clientes com a sua arte no café. 

Como aprender a fazer desenhos no café?

Algumas pessoas acabam tentando fazer esses desenhos em casa. Por tentativa e erro, quem é mais habilidoso, pode conseguir desenvolver alguns formatos. Entretanto, se você quiser se profissionalizar precisa procurar cursos sobre as técnicas de Latte Art.

Por falar em cursos, se você não é profissional da área e quer aprender mais sobre café, aproveite e conheça os principais cursos ligados ao mundo do café

É comum que quem gosta muito de um bom cafezinho tenha a curiosidade de saber se está bebendo o melhor café do mundo, não é? Na verdade, a classificação do café varia bastante de acordo com o concurso. 

Mas quando se fala em país, é comum que o melhor café do mundo seja citado como sendo da Etiópia, pois é o país de origem da bebida. Além disso, até hoje possuem muito zelo na produção do café e têm nela a sua principal atividade econômica. São aproximadamente 3,8 milhões de sacas de café por ano.

No entanto, o maior produtor de café do mundo é o Brasil, que exporta boa parte da sua produção. Além disso, por muitas vezes, o país já ganhou o título de melhor café do mundo em alguns concursos. 

Saiba mais sobre a qualidade do café brasileiro e veja qual foi considerado o melhor café do mundo! 

Melhor café do mundo? Brasil se preocupa com a qualidade 

Talvez não seja possível gravar a afirmação de que o Brasil possui o melhor café do mundo. No entanto, é fato que o país se preocupa com a qualidade do que produz e do que vende. Prova disso é a existência da Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC desde 12 de março de 1973.

Essa é a representante das indústrias de torrefação e moagem que, além de visar defender a bebida e acompanhar tudo sobre o setor, também lançou o Programa de Autofiscalização da Indústria de Café, mais conhecido como Selo de Pureza ABIC. 

Esse selo visa elevar a qualidade do café vendido no Brasil e, ao mesmo tempo, sinalizar ao consumidor que ele está comprando um produto bom. 

Mas não é só isso. O país também investe em pesquisas na área, como as realizadas, por exemplo, pela Embrapa Café. Além disso, os produtores estão sempre se qualificando e tecnificando, visando obter o melhor produto e conquistar novos títulos de melhor café do mundo.  

Café brasileiro se destacou no 100ª edição mundial do Cup of Excellence

Um dos principais concursos que define o melhor café do mundo é o Cup of Excellence. Na 100ª edição mundial do Cup of Excellence, 21 produtores conquistaram notas superiores a 85 pontos (escala de 0 a 100).

Desta vez, o melhor café do mundo foi da Bahia. O campeão foi o lote do cafeicultor Cândido Vladimir Ladeia Rosa, da Chácara Ouro Verde. Ela fica em Piatã (BA), na Chapada Diamantina. O café obteve 94,05 pontos dos 100 possíveis. 

Na segunda colocação esteve Antonio Rigno de Oliveira, da Chácara São Judas Tadeu. Esse café recebeu 93,36 pontos, enquanto na terceira veio a produtora Zora Yonara Macedo Pina Oliveira, da Chácara Tijuco. Ela recebeu 92,26 pontos.

Também foi premiado Eulino José de Novais, da Fazenda Santa Bárbara, com 90,14 pontos. Esses quatro lotes são da Chapada Diamantina. Por terem conquistado mais de 90 pontos na escala de 0 a 100 do Cup of Excellence, também ganharam o troféu de cafés presidenciais.

Depois de tantas informações você ficou com vontade de um cafézinho? E agora, deve ou não colocar açúcar na água do café? Descubra aqui.