Café e Sustentabilidade – Entenda como essa relação funciona e muito bem

Garantir uma produção respeitosa e responsável faz com que a sustentabilidade já tenha se tornado indispensável à cafeicultura

O café, desde que teve seu plantio iniciado em terras brasileiras, sempre teve ampla participação e importância no setor agrícola e, consequentemente, na economia do país. Com o avançar das décadas a forma de se cultivar, colher, beneficiar e vender café foi se aprimorando, de forma que atualmente não basta apenas ter uma grande produção ou lucros astronômicos, é necessário se preocupar com a forma que a cadeia de produção toda decorre. Com isso, é crescente também a passos largos a associação de práticas sustentáveis à agricultura cafeeira.

Sustentabilidade e cafeicultura

O conceito de sustentabilidade não é completamente definido e fixo, sendo ainda muito debatido e interpretado com diferentes vieses, mas tratando de seu cerne ele diz respeito a adoção de uma nova mentalidade tanto para produção quanto para consumo. Práticas sustentáveis, ao contrário do que ronda o imaginário popular, não dizem respeito apenas a atitudes de preservação ambiental, mas sim do planejamento de toda cadeia de produção a fim de que seja viável econômica, social e ambientalmente, proporcionando excelentes resultados no presente e garantindo que eles possam continuar a existir no futuro.

O café é ao redor do mundo a cultura agrícola que mais progrediu rumo à sustentabilidade, tendo o Brasil como um dos principais representantes dessas novas práticas. Uma ferramenta importantíssima para isso foi a criação da Plataforma Global do Café (GCP), uma associação internacional atuante em 8 países e que conta com mais de 200 membros de toda cadeia produtiva do café, a qual visa trabalhar coletivamente em prol de um setor cafeeiro próspero e sustentável para as gerações vindouras. Ativa no Brasil desde 2012, seu principal instrumento desenvolvido foi o Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC).

Currículo de Sustentabilidade do Café (CSC)

O CSC é um documento de construção coletiva entre entidades dos principais estados brasileiros produtores de café. Trata-se de uma seleção dos temas centrais para atuação em sustentabilidade, sendo portanto uma referência comum para aplicação de práticas sustentáveis na cafeicultura. Apresenta 122 práticas divididas entre 11 macrotemas e classificadas entre “proibidas”, “prioritárias” e “recomendadas”. Para facilitar sua aplicação foi desenvolvido também um manual com uma espécie de resumo do CSC, contendo 18 itens fundamentais para práticas sustentáveis e como implementá-los. Suas temáticas são divididas entre os 3 eixos da sustentabilidade: economia, responsabilidade social e meio-ambiente.

Aspectos econômicos

O grande beneficiário de uma produção sustentável é o próprio produtor e sua propriedade. Saber gerir bem a produção é um fator indispensável para que ela alcance seu ápice de produtividade econômica. O produtor deve se tornar também um bom gerente para assim alcançar as melhores taxas de qualidade, controle, organização e lucro.

É imprescindível uma boa administração de custos de produção bem como a organização de registros e documentações. Dessa forma o produtor sabe como e quando investir em melhorias e também o que é necessário fazer para que sua produção se mantenha estável dentro das melhores condições possíveis.

Aspectos ambientais

Tópico mais conhecido dentro das práticas sustentáveis. Diz respeito a manter uma produção lucrativa mas que respeita os limites ambientais e trabalha para que os recursos naturais permaneçam viáveis para as gerações futuras.

Engloba principalmente conservação do solo e vegetação nativa, recuperação de áreas degradadas, uso racional de água e manejo correto de agroquímicos, desde seu armazenamento, uso propriamente dito e descarte de resíduos.

Aspectos sociais

Com crescente importância dentro da cafeicultura, a preocupação com o recurso humano na produção é essencial para um bom desenvolvimento de toda cadeia. Atualmente a relação de trabalho é regulamentada pela Legislação Trabalhista, garantido ao trabalhador saúde e segurança com práticas como fornecimento e uso correto de EPIs e disponibilização de treinamentos frequentes, a fim de proporcionar sempre um aperfeiçoamento de suas habilidades, beneficiando tanto o produtor quanto seus colaboradores.

Também traz a ideia de aproximar jovens e mulheres da agricultura cafeeira, estimulando a sucessão familiar e permanência e investimento no campo.

Certificação do café

A manutenção de práticas sustentáveis hoje é extremamente importante tanto para os produtores quanto para a sociedade como um todo. Dessa forma, é essencial que o consumidor saiba se o produto que está adquirindo está de acordo com essas práticas. Para tanto, surgiram selos de certificação que garantem que o café é produzido de forma sustentável, buscando um crescente impacto positivo na sociedade e no ambiente e acompanhando e estimulando melhorias na produção.

A Fazenda Aliança possui dois dos mais importantes selos de certificação atuais: UTZ e Rainforest Alliance. Com isso, garantimos que o café que chega à sua xícara não é apenas de altíssima qualidade, mas também é produzido com muito cuidado e responsabilidade em todas suas etapas.

Garantir práticas sustentáveis não se trata mais de pensar no futuro apenas, mas sim de proporcionar uma melhor relação produtiva hoje e permanecer assim caminhando sempre bem, com respeito e cuidado com o ambiente e a sociedade.

 

Conheça nossa linha completa de Cafés Especiais